1. Objetivo
    1. Esse procedimento tem o objetivo de estabelecer os critérios gerais para rejeição de amostras.

 

  1. Referências Normativas
    1. Não se aplica.

 

  1. Termos e Definições
    1. Hemólise do sangue: a hemólise (hemo = sangue; lise = quebra) é a destruição das hemácias (glóbulos vermelhos) do sangue por rompimento da membrana plasmática, resultando na liberação de hemoglobina.
    2. Coagulação do sangue: é o processo de transformação do sangue líquido num coágulo sólido.

 

  1. Metodologia
    • Devem ser respeitados todos os itens contidos neste procedimento de acordo com o exame solicitado, tais como:
      • Tipo de material enviado (sangue, saliva, tecido, esperma etc);
      • Volume do material;
      • Anticoagulante utilizado para coleta (EDTA, heparina sódica etc; dependendo do procedimento a ser realizado);
      • Armazenamento da amostra;
    • Outros motivos para rejeição de amostras:
      • Amostras hemolisadas*;
      • Amostras coaguladas*;
      • Tubos quebrados ou com vazamento;

*Amostras recebidas parcialmente hemolisadas ou parcialmente coaguladas serão processadas em caráter restritivo. Nesses casos, será enviado um e-mail para a clínica ou paciente responsável pela amostra alertando sobre a possibilidade de recoleta.

 

  • Amostras aceitas com restrições:
    • Alíquotas de amostras de sangue total serão recebidas, porém a informação sobre a restrição constará no laudo emitido. O ideal é que a amostra seja enviada no próprio tubo de coleta (tubo primário);
    • Amostra de Plasma aliquotada será recebida, porém a informação sobre a restrição constará no laudo. O ideal é que a amostra não seja manipulada e seja coletada e enviada em tubo com sistema de separação de plasma;
    • Amostras enviadas em seringas. O recebimento será avaliado individualmente e caso aceito, a informação referente à restrição constará no laudo. Para garantir os critérios de biossegurança, a amostra deve ser transferida para um tubo estéril antes do seu envio. Salientamos que, para a maioria de nossos testes, a forma ideal de coleta é através do sistema a vácuo. As amostras enviadas ao Setor de Citogenética que tenham de ser transportadas em seringas (líquido amniótico e vilo corial), devem apresentar-se em seringas sem o bico (borracha preta) e com êmbolo e a agulha imobilizados.
  • Amostras em espera para cadastro:
    • Requisição de exames com informações faltantes, como:
      • Nome do laboratório/médico solicitante
      • Nome do paciente
      • Nome completo do exame solicitado
      • Data da coleta do material
      • Descrição do material enviado (soro, plasma, líquido amniótico etc)
      • Envio de Teste de Paternidade sem o formulário preenchido, ou sem uma cópia dos documentos solicitados
      • Envio de exames sem o devido formulário preenchido e o termo de consentimento assinado
    • Notas:
      • Os exames seguirão no processamento, iniciando pelo cadastro, apenas quando todas as informações forem enviadas a Chromosome
      • O prazo para liberação dos resultados começa a valer a partir da data na qual todas as informações e/ou documentos encontrarem-se na Chromosome
      • É considerado como primeiro dia útil aquele imediatamente após o cadastro da amostra
    • Para os casos de mutação pontual: Os exames para o encontro das Mutações Pontuais servem para complementar a investigação em uma família. Geralmente, temos um caso-índice que é a primeira pessoa que foi investigada com exame de sequenciamento completo de um gene, apesentando alteração genética (mutação ou polimorfismo) descrita como causadora de uma doença. Esta alteração pode ser pesquisada nos familiares de primeiro grau desta pessoa, através do exame de Pesquisa de Mutação Pontual. Quando houver a solicitação de pesquisa de Mutação Pontual, a mutação encontrada no caso-índice, deve ser especificada no relatório médico ou no pedido. Quando possível, enviar uma cópia.