Diagnóstico Genético Pré Implantacional (PGD)

  • O que é PGD?
  • PGD se aplica ao meu caso?
  • Quais condições genéticas podem ser testadas durante o PGD?
  • Que tipo de clínica faz PGD?
  • Quais são os riscos do PGD?
  • Como funciona o PGD? 
  • Minhas chances de ter um bebê melhoram com o PGD?
  • PGD – começando o processo
  • Seleção de sexo

O que é PGD?

O diagnóstico genético pré implantacional – a sigla em inglês é PGD – permite que pessoas que tenham herança familiar de doenças genéticas não passem a doença para seus filhos. O procedimento envolve a checagem de genes e/ou de cromossomos de embriões criados por FIV – fertilização em vitro.

PGD se aplica ao meu caso?

O especialista pode recomendar PGD se:

  • Você teve gravidezes interrompidas devido a sérias condições genéticas
  • Você já tem uma criança com sérias condições genéticas
  • Você tem um histórico familiar de sérias condições genéticas, ou
  • Você tem histórico familiar com problemas cromossômicos.

Quais condições genéticas podem ser testadas durante o PGD?

O procedimento PGD pode ser usado para testar teoricamente quaisquer condições genéticas nas quais um determinado gene esteja envolvido na causa do problema genético. Atualmente mais de 250 condições genéticas podem ser verificadas, entre elas a Fibrose Cística, Atrofia Musculas Espinhal, Distrofia Miotônica, Síndrome do X Frágil, Hemofilia A e B, Doença Renal Policística, Distrofia Muscular de Duchenne….

Que tipo de clínica faz o PGD?

O procedimento de PGD só pode ser realizado por especialistas em genética e embriologia devidamente equipados e credenciados para tanto. E para que o PGD seja realizado é necessário fazer uma consulta de Aconselhamento Genético, na qual o médico geneticista fará uma criteriosa avaliação da história familiar do casal, a anamnese clínica e a necessidade de demais testes laboratoriais.

Quais são os riscos do PGD?

Desde que realizado por profissionais capacitados e experientes, o PGD é um procedimento seguro, não compromete a saúde do embrião. No entanto, teoricamente os riscos do PGD poderiam ser:

  • Alguns embriões podem ser danificados pela retirada de uma célula.
  • Os resultados dos testes realizados podem não ser 100% conclusivos ou confiáveis.

Como funciona o PGD?

Estes são os passos do procedimento de PGD:

  1. Primeiro você deve procurar um médico geneticista.
  2. Você se submete a um tratamento de fertilização in vitro FIV que vai coletar e fertilizar seus óvulos.
  3. O embrião cresce no laboratório por dois a três dias até que sua divisão celular seja de cerca de oito células.
  4. Um embriologista capacitado e experiente remove uma ou duas das células (blastômeros) do embrião.
  5. Essas células são testadas para saber se o embrião do qual foram retiradas contém o gene que causa determinada condição genética na família.
  6. O embrião não afetado pela condição genética familiar é transferido para o útero materno para  que lá se desenvolva.
  7. Todos os embriões remanescentes não afetados pela condição genética podem ser congelados para uso posterior.

Minhas chances de ter um bebê melhoram com PGD?

Estudos recentes demonstram que as taxas de fertilização melhoram consideravelmente com embriões selecionados por PGD, mas como ocorre na maioria dos tratamento de fertilidade, o sucesso depende de diversos fatores, incluindo a idade da mulher e a identificação da causa do problema de fertilidade..

Pode acontecer de não haver embriões apropriados para a transferência no útero, devido a alguns fatores como:

  • Não haver óvulos suficientes para serem fertilizados
  • A remoção de células para o PGD pode danificar os embriões (muito raro)
  • Todos os embriões estão afetados por doença genética